quinta-feira, 31 de março de 2011

Border Collie

Por José d'Oliveira Couto Neto


O Border Collie é a raça de pastoreio mais antiga, que hoje em dia continua em atividade nas propriedades rurais. 
Sua fama vai além do nome e sua popularidade alcançou os quatro cantos do planeta. São bastante comuns na Europa Continental, EUA, África, e nos últimos 15 anos, na América do sul...
O Border Collie é um cão para todos os serviços, pois é capaz de realizar todas as atividades necessárias no manejo, onde cães possam ser utilizados. Ele arrebanha, traz, e conduz rebanhos a grandes distâncias; auxilia no curral, apartando e “tocando”, ajuda a carregar e descarregar animais de caminhões ou conduz os animais de volta ao pasto.
O Border Collie trabalha silenciosamente, com uma postura do corpo rebaixada, semelhante à de um predador. Seu instinto se baseia, na verdade, num instinto de caça, onde a matança foi eliminada e passa a controle do homem o predador e consequentemente o das presas. Ao longo de vários séculos, os Border Collies vêm sendo criados de forma seletiva e o resultado dessa seleção fez deles uma excelente máquina de trabalho. Um bom Border Collie é suave e sutil nos seus movimentos, com muita coragem e poder.
Quando bem cuidado, ele é capaz de trabalhar todo dia por horas a fim, e não somente é capaz, como é o que ele quer. Ouve-se dizer que: “Um bom Border Collie não vive para o seu trabalho, ele vai dar a sua vida pelo seu trabalho” Um Border Collie bem tratado e condicionado é capaz de correr até 150 km por dia. Não é exagero dizer que eles morrem, mas não deixam o trabalho.


Como sua seleção é voltada ao trabalho, morfologicamente tem muitas diferenças entre indivíduos na raça. São permitidas todas as variações, em relação a tamanho, cor, formas em geral, orelhas caídas ou levantadas, etc. A unica ressalva é aos indivíduos da cor branca ou com grande parte do corpo assim, que devem ser evitados por trazerem um gen indesejável, que é relacionado à cor branca e que causa surdes.


Email  j.couto.neto@hotmail.com

Australian Kelpie

Por José d'Oliveira Couto Neto

O Kelpie é uma raça australiana e provavelmente a segunda raça mais popular de cães de trabalho no mundo. A sua origem vem de aproximadamente 200 anos atrás, quando alguns cães de pastoreio de pelo curto da Escócia foram introduzidos na Austrália. Eles constituíram a base e à medida que se desenvolviam os criadores os selecionavam conforme a habilidade natural para manejar rebanhos, o pelo curto adequado às severas condições australianas, 
constituição robusta, conformação atlética, patas firmes e fortes que resistissem aos solos duros e o temperamento bom e amigável.

Diversos criadores tem se concentrado ao longo dos anos em diferentes características, de acordo com as suas preferências particulares. 

O resultado disso é que existem pelo menos 3 diferentes estilos de trabalho dos Kelpies.


• Temos o Kelpie muito cuidadoso e observador que é usado para tirar o rebanho de locais difíceis como 
morros íngremes. 

• Temos depois o Kelpie de latido forte, que trabalha perto, usado para carregar e descarregar o rebanho em 
caminhões e para trabalhar em galpões de tosquia ou em qualquer lugar onde muita força se faz necessário. 

• Temos também o muito procurado Kelpie de uso geral, que é capaz de realizar longas corridas para 
arrebanhar no pasto e quando usado em áreas fechadas, vai usar latido e flanqueio para movimentar o rebanho 
através da mangueira ou curral.

Há Kelpies de colorações variadas. Todo preto, preto com manchas bege, marrom com manchas bege, creme ou dourado, todo marrom e o acinzentado.


Se um Kelpie ou um Border Collie é o cão ideal para você, vai depender unicamente da sua preferência. Ambos são capazes de realizar as mesmas tarefas, mas o estilo com que eles as realizam é muito diferente.


Email  j.couto.neto@hotmail.com

Hangin 'Tree Cowdog


A raça foi desenvolvida com a mistura dos cães: Catahoula Leopard, Border Collie e Australian Kelpie. São cães de pelo curto e liso, com rabo curto, podem ser de varias cores desde preto, vermelho, merles e de outras misturas de cores.
A raça tem o instinto para trabalhar com animais e podem ser treinados para cuidar do gado.Um atributo único é a sua característica de morder a cabeça e os calcanhares do gado.

O Melhor Cão de Trabalho para Bovinos


Hangin 'Tree Cowdog são conhecidos por sua coragem e habilidade para lidar com qualquer tipo de gado, desde os recém-desmamados aos bezerros e vacas. Eles também são  alertas, leais, e têm a capacidade de trabalhar longas horas no campo. É a sua combinação de resistência, de treinabilidade, e instinto para trabalho de gado, que o fez uma poderosa ferramenta de trabalho.



AGBC - Border Collie

quarta-feira, 30 de março de 2011

Alimentar x Nutrir


Amigo, com grande prazer escrevo sobre esse tema, capaz de confundir até os mais astuciosos.

Durante a formulação de uma ração, o profissional nutricionista está incumbido da alimentação de um determinado organismo a fim de alcançar a nutrição dos órgãos e tecidos daquele que receberá o alimento. A diversidade de ingredientes que se pode escolher para compor a dieta exige uma verdadeira engenharia, pois nem sempre alimentar significa nutrir.

Nas mais diferentes espécies animais, os guias de exigências nutricionais auxiliam na determinação das necessidades de uma categoria animal, enquanto, as tabelas de composição dos alimentos dispõem de informações sobre o valor nutricional dos possíveis ingredientes.

Atualmente, o nutrient requeriments of dogs and cats (requerimento nutricional de cães e gatos) é a principal publicação em termos de nutrição para ambas as espécies. Através desta publicação, composta por dados e informações adquiridas a partir de várias organizações públicas e privadas, combinando uma exaustiva revisão de literatura com a análise critica dos dados científicos e experiências profissionais, a comissão sobre exigências nutricionais de cães e gatos, da academia nacional dos Estados Unidos, desenvolve recomendações que são firmemente fundamentados na ciência (NRC, 2006).

Essas informações são utilizadas pelos profissionais na indústria e academia para formulação de dietas e identificação de novos tópicos para pesquisa, sempre atentos aos guias de regulação estabelecidos por órgãos governamentais.

Um animal busca se alimentar por dois motivos básicos: (a) preencher o canal alimentar, diga-se estômago e (b) repor as perdas hídricas e orgânicas, supondo que a água também pode ser encarada como um alimento, porém isso é capitulo para outra prosa. Portanto, deve-se, literalmente, equacionar a composição nutricional dos ingredientes com as necessidades do animal que irá receber a dieta. Desta forma, no momento da aceitação do alimento, que vai desde sua ingestão até o processamento gástrico, com conseqüente excreção das partes não aproveitáveis, o formulador alcança o primeiro êxito, alimentar o animal. Então, no trato gastrintestinal, através de processos digestivos, o organismo disponibiliza para absorção os nutrientes presentes no alimento ingerido e, assim, alcança-se o segundo êxito, nutrir o organismo.

O balanceamento de uma ração, ou seja, qualquer tipo de regime alimentar, que alimente e nutra de forma apropriada os animais é a grande questão do formulador. Um alimento formulado que satisfaça a necessidade de preenchimento do animal deve ao mesmo tempo satisfazer as exigências nutricionais do organismo, tais como energia, aporte de aminoácidos, açúcares, gorduras, minerais e vitaminas, caso contrário irá alimentar o animal sem nutrir.

Na criação animal, cerca de 70 a 80% dos custos referem-se ao manejo alimentar. Uma das principais funções do Zootecnista é formular alimentos a baixo custo, o que não significa o mais barato! O alimento mais barato pode ser uma mistura inadequada de ingredientes, preparados de tal forma que o animal tenha aceitação, dando conta da necessidade de preenchimento, somente. Alimentos de baixo custo consideram uma matriz nutricional, porém com um estudo dos ingredientes mais apropriados para ocasião da formulação, alimentando e nutrindo o animal que o consome, de forma mais econômica.

Neste mês de março o nosso Border Collie estará presente no principal evento do Brasil sobre nutrição de cães e gatos - CBNA pet, em São Paulo. A comissão organizadora deu parecer favorável a apresentação e publicação do trabalho que desenvolvemos com esta raça aqui na UENF. Estaremos presentes para esclarecer dúvidas, fazer contatos, aprender mais e contribuir na divulgação desta que é a raça número um em nossos corações! No próximo artigo eu conto como foi;
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
National Research Council (2006). Nutrition Requirements of Dogs and Cats.
Washington D.C.: National Academy Press


MARCELO LOBO PAES
ZOOTECNISTA DOUTORANDO EM CIÊNCIA ANIMAL
(UENF)
(21) 97785305
(22) 98126098
MSN:
paesm@live.com
SKYPE: marcelopaesrj 

----------------------------------------------------------------------------------------------
Rodrigo Ferreira
Canil Pastoreio das Gerais
www.pastoreiodasgerais.com.br
rodrigo@pastoreiodasgerais.com.br


terça-feira, 29 de março de 2011

Eu e Alguns Filas

Escrito por Tadeu


1. Não posso escrever sobre o fila em geral, mas posso escrever sobre os filas que eu tive, e outros que eu conheci.
       O item que mais me chamou a atenção nos filas que eu conheci e outros que tive, foi a extremíssima diversidade de temperamento na mesma ninhada, na mesma família e na mesma linhagem. Cães de muita coragem e valentia com nervos de aço e extremamente agressivos com estranhos, territorialistas "in extremis", tendo como irmãos cães absolutamente covardes, daqueles que se escondem no canil , tremem e chegam a se mijar de medo quando um estranho se aproxima.

        Este é um fato. 
          Explicações?
         Vou chutar três.


A) Alguns valentes são na realidade "mordedores de medo" e seus irmãos covardes provam isso.
B) Falta seleção e temos um longo caminho a percorrer.
C) A natureza produz cães valentes e covard es no mesmo bando. Os valentes ficam reproduzindo e dormindo no interior do bando. Os covardes, medrosos e assustados tem sono leve e dão alarme ao menor sinal de perigo. Os valentes acordam e vão lutar. Os gens da covardia não desaparecem , pois apesar dos machos covardes não comerem ninguém, as fêmeas covardes dão para todo mundo.

Os de "nervos fortes" são os melhores guardiões existentes na atualidade. Tomam conta do terreno e atacam estranhos pra valer.

Não é fácil analisar ou prever este fato ao comprar um filhote de 60 dias.
O criador , também um melhorador, deveria oferecer sólidas garantias.

Alguns criadores afirmam que em mais de 20, 30, ou 40 anos de criação, nunca, nunquinha da silva, tiveram um cão de temperamento fraco em seus (deles) canis e em suas andanças pelo mundo nunca viram acontecer nada semelhante. Pode ser; mas não tenho como comprovar isso.



2. Outros problemas são :

A) Displasias
B) Defeitos de aprumos
C) Suspeitas de mestiçagem


3. Alguns criadores tentam ter e reproduzir um cão que seja extremamente agressivo com estranhos- quase um cão sumário- e que seja dócil com as pessoas da casa, incluindo crianças, mulheres e idosos.

        Não é de todo impossível, mas muito difícil. Existem cães assim, mas na reprodução ocorrem surpresas. Algumas agradáveis, outras nem tanto.

4. A seleção para o futuro deveria tomar outro rumo e se dividir em duas vertentes.

       A) Quem quiser um cão sumário que adquira um e persiga seu objetivo de seleção. Neste caso que pratique a chamada "posse responsável" com estrutura e conhecimento técnico adequado.
       B) Quem quiser um cão de dupla aptidão - companhia familiar e guarda- que defina isso.

5. Com o progresso, lento nas inexorável, das relações comerciais deveremos enqua drar a compra e venda de cães na legislação atual.
    Estou citando o "CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR" que é a melhor legislação do mundo nesta matéria.

O consumidor merece respeito, apesar de muitos pensarem que ele ( o consumidor) é apenas um psicótico que tem desejos patológicos de ser aliviado de seu dinheiro.

6. Para concluir:

        Sempre tive filas e (se Deus permitir) sempre terei. Uns melhores, outros piores. Não sou criador, apenas dono de alguns filas, embora crie eventualmente.

7. O temperamento do fila , na média, piorou se comparado com décadas anteriores.
   Quase todas as raças de guarda estão piorando muito.



Escrito por Tadeu
Medico 
Veterinário
Criador de Filas
Umuarama - PR

Pastor da Mantiqueira

Escrito por Clesley Felipe de Souza   

Os Mantiqueira  têm uma origem desconhecida, mas acreditamos que venham dos antigos cães que tínhamos no Brasil que eram chamados de “Policial”, que pelo tipo devem originar do mesmo tronco dos antigos cães pastores Alemães, Belgas,  cães locais , e possivelmente borde collies e collies há muitas lendas sobre a formação desses cães a ponto de alguns dos mais antigos criadores jurarem que canídeos  selvagens entraram na sua formação.

  Eles sofreram nesta região uma seleção, pois os  peões precisam de um bom cão que conduzisse o gado em locais de difícil acesso muitas vezes onde nem mesmo cavalos tinham acesso , sempre procuraram dentro de seu conhecimento acasalar os melhores animais, e se orgulham deles esses acasalamentos “planejados”  acabaram por formar um cão uniforme e com um senso de rebanho muito grande.   
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                
Os Pastores da Mantiqueira possuem uma boa uniformidade morfológica, tamanho médio, orelhas eretas, focinho fino, bem pigmentados, com comprimento de pelos variáveis longo ,crespo e  curto, as cores mais comuns são : pretos, branco, azulego, dourado e preto e castanho,  também tem um padrão de comportamento característico, são muito rústicos,  ativos e rápidos, tem bons instintos que os ligam fortemente ao rebanho, dando a eles uma boa capacidade de trabalho, e de baixo custo, eles são uma ferramenta de trabalho muito eficiente e praticamente indispensável para o vaqueiro, da serra da Mantiqueira pois ao contrario dos cães introduzidos recentemente na região eles estão muito adaptados ao clima e ao relevo local.
 
 Esses cães tem uma ligação muito forte com seus donos sendo capazes de esperarem o regresso do mesmo por horas deitados ao lado do cavalo que o  trouxe  sendo também  muito utilizados na guarda residencial sendo um ótimo guarda na fazenda capaz de dar sua vida na proteção ao dono e seus familiares.

PADRÃO DA RAÇA

APARÊNCIA GERAL: bem proporcionado, de silhueta suave, revelando qualidade,
graça e perfeito equilíbrio, combinados com substância suficiente para conferir uma
impressão de resistência. Qualquer tendência à rusticidade ou debilidade é indesejável.

CARACTERÍSTICAS: tenacidade, pastor de trabalho pesado, de ótima tratabilidade.

TEMPERAMENTO: esperto, alerta, responsável e inteligente. Jamais nervoso ou
agressivo.

CABEÇA E CRÂNIO: crânio razoavelmente largo, occipital não pronunciado. Sem
bochechas cheias ou arredondadas. Focinho afinando para a trufa, moderadamente
curto e forte. Crânio e focinho aproximadamente do mesmo comprimento. Stop bem
marcado. Trufa preta,
Narinas bem desenvolvidas.

OLHOS: inseridos bem separados, de formato oval e tamanho médio; de cor marrom,
. Expressão suave, esperta, alerta e inteligente.

ORELHAS: de textura e tamanho médio, inseridas bem separadas. Portadas eretas
e de audição muito sensível.

BOCA: maxilares e dentes fortes, com uma mordedura em tesoura perfeita, regular
e completa, isto é, os dentes superiores recobrem os inferiores e são inseridos
ortogonalmente aos maxilares.

PESCOÇO: de bom comprimento, robusto e musculoso, levemente arqueado
engrossando em direção aos ombros.

ANTERIORES: vistos de frente, paralelos; vistos de perfil, metacarpos ligeiramente inclinados. Ossatura forte sem ser pesada. Ombros bem angulados, os cotovelos
trabalhando ajustados rente ao tórax.

TRONCO: de aspecto atlético, costelas bem arqueadas, peito profundo e mais para
largo; lombo profundo e musculoso, sem ser esgalgado. O comprimento do tronco é
ligeiramente maior que a altura na cernelha

POSTERIORES: largos, musculosos; vista de perfil, a garupa é ligeiramente inclinada
para a raiz da cauda. Coxas longas, profundas e musculosas, com joelhos bem
angulados e jarretes curtos e robustos. Vistos por trás, os jarretes têm boa ossatura e
são paralelos.

PATAS: de formato oval; almofadas plantares espessas, fortes e saudáveis; dedos
bem arqueados e compactos. Unhas curtas e fortes.

CAUDA: moderadamente longa, com a última vértebra alcançando, no mínimo, o
nível dos jarretes; de inserção baixa, bem guarnecida de pêlos e com uma espiral para
cima, na direção da ponta, conferindo um gracioso contorno e equilíbrio ao cão. A
cauda poderá erguer se em estado de excitação, jamais portada sobre o dorso.

MOVIMENTAÇÃO: livre, suave e incansável, com um mínimo de elevação das
patas, conferindo a impressão de habilidade para movimentação com grande
propulsão e velocidade.

PELAGEM: duas variedades:
1) moderadamente longa.
2) lisa.

Em ambas, a pelagem é densa e de textura média, subpêlo macio e denso, fornecendo
boa proteção contra intempéries. Na variedade de pelagem moderadamente longa, a
abundância de pêlos forma uma juba, culotes o pelo pode ser reto , ondulado ou mesmo crespos.já a variedade de pelo liso o pêlo é curto e liso.

COR: branco. Preto, azulego, dourado , marfim e combinação de preto com dourado. 

Escrito por Clesley Felipe de Souza
Email: clesleymedvet@hotmail.com
Orkut:  clesleycowboy@hotmail.com

APPAS Pastoreio - Border Collie 2011

APPAS - 1ª Etapa 2011


Já tivemos a primeira etapa e foi um sucesso, tanto em numero de cães inscritos como em público.


A festa foi linda, a extrutura montada pelos anfitiões Fernando , Lúcia Gomes e toda sua família estava irretocável, tudo maravilhoso, abriu os eventos da Associação Paulista,APPAS, com chave do ouro.


Tivemos recorde de inscrição na Categoria Novatos competindo com rebanho de Ovinos.


A APPAS também iniciou como incentivo a novos participantes, a categoria Iniciante, que compete dentro da Novatos mas só participam dela os condutores que participaram de até 5 provas oficiais, beneficiando assim quem está começando. Tivemos uma grata surpresa que no Gado, o condutor que ganhou a Novatos Iniciante, também foi o Campeão na Novatos Geral.


Também foi criado o Campeonato Cão Completo, que é a somatória de pontos das provas com Ovelha e com Gado, assim valorizamos os cães que trabalham nos dois rebanhos. Este campeonato só tem nas categorias Ranch e Open.


Tivemos a participação de Border Collies e um Australina Kelpie nessa etapa.
Rankin e maiores informações no site: www.appaspastoreio.com


Por José d'Oliveira Couto Neto
Email  j.couto.neto@hotmail.com

segunda-feira, 28 de março de 2011

Australian Cattle Dog

Escrito por Canil Minas Heeler
Msn: lucasmansoldo@hotmail.com

A principal característica dos Australian Cattle Dogs é sua versatilidade e inteligência, que o colocaram em 10º lugar no ranking de inteligência elaborado pelo pesquisador Stanley Coren em seu livro "A Inteligência dos Cães".


Sua inteligência inata e a grande facilidade em aprender rapidamente comandos complexos, fizeram com que a raça ganhasse destaque especialmente entre os fazendeiros que precisavam de cães altamente confiáveis no trabalho com os rebanhos. Mas além de serem excelentes em suas funções originais, os ACD destacam-se em várias outras atividades, como o Agility e as competições de obediência e Schutzhund, onde podem aproveitar todas as melhores qualidades da raça.


Os ACDs se caracterizam por ser reservados com estranhos mas sem demonstrarem qualquer agressividade. Já com seus donos, são devotados ao extremo, a quem seguem como verdadeiras sombras. Como são cães bastante inteligentes e que freqüentemente precisam tomar ´suas próprias´ decisões na condução dos rebanhos, podem se tornar um tanto insubordinados se perceberem que seus donos não transmitem a liderança necessária. Característica básica em sua função original é trabalhar em silêncio.


Não são cães para um dono pouco experiente ou que proporcione pouca atividade física e mental a seus cães. Da mesma forma, não suportam bem a solidão ou a vida isolada de um quintal. Os ACD precisam de contato constante com a sua família e caso não possuam esta experiência, podem desenvolver problemas de comportamento.


Na atividade de pastoreio, são cães especialistas em gado, não sendo a raça mais adequada, por exemplo, para trabalhar com ovelhas, mas com o treinamento adequado, podem realizar o pastoreio sem problemas.


O relacionamento destes cães com crianças e outros animais é bastante bom, lembrando sempre que, por se tratarem de cães de pastoreio, a tendência é que eles encarem crianças e os demais animais como seres a serem pastoreados.


São leais, protetores e alertas. E absolutamente leal e obediente ao seu dono. Devido ao seu alto nível de dominância ele é um cão de um dono só. Os cães australianos são muito fáceis de  treinar.


sábado, 26 de março de 2011

Cães de Pastoreio

Usados para guiar e pastorear outros animais, os cães pastores já dominam este negócio desde 1570. Eles podem ter pelo longo ou curto, pernas compridas ou curtas, podem ser "agressivos" na sua maneira de pastorear ou gentis, mas todos têm algumas características em comum. São rápidos e ágeis, capazes de fazer manobras e curvas repentinas com graça e leveza. Levam seu trabalho muito a sério e não é raro ver alguns destes animais "pastoreando" crianças.

Alguns chegam a dar mordidas nos calcanhares dos pequenos que resolvem se rebelar e tentam fugir do controle do cão. Quando treinados profissionalmente para o trabalho de pastoreio, cada cachorro é treinado para trabalhar com qualquer espécie de animal que se agrupe, seja ovelha, gado ou perus. São inteligentes, sensíveis, prontos para agradar o dono, brincalhões, e respondem muito melhor quando são tratados com gentileza. Sempre prontos para uma longa caminhada ou aventura, também se deliciam ao ficar deitado aos pés de seu dono, no qual, aliás, estão sempre de olho.

Os melhores nomes para estes cães são os bem curtinhos e marcantes, como Skip, Rex, Bob, ou Chuck. Nomes longos ou muito melodiosos têm uma significante queda no tempo imediato de resposta do animal. Por ser extremamente leal e apegado ao dono, muito destes cães passaram a ser usado também para a guarda de pessoas e propriedades (caso dos Pastores Alemães). Se você der bastante atenção a este tipo de cachorro, brincar e trabalhar junto com ele, você pode contar com um amigo fiel, que não duvidará em dar a vida dele pela sua. Se, ao contrário, você for frio e distante, este é o tipo de cão que irá procurar a companhia de outros animais e dificilmente chegará perto de você, tornando-se indiferente a sua companhia.

Neste grupo está o Collie, Shetland Sheepdog, Old English Sheepdog, Pastor Belga, Pastor dos Malinois, Bouvier de Flandres, Schnauzer Gigante, Welsh Corgi Pembroke, Welsh Corgi Cardigan e Pastor Australiano entre outros.


Fonte: LordCão

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba as novidades no seu Email